22 de março de 2010

Queria ser blasé...

Mais uma madrugada perdida com meus pensamentos e com a constatação de que as coisas realmente mudaram. Os que deviam ser só amigos, enfim ocuparam seus lugares de fato.
Sabe, eu agora estou tentando levar a vida, estou correndo atrás e não apenas esperando (just waiting), mas as vezes me parece que estou correndo para o lado errado...
Estou meio que correndo como um desesperado, ou como diria aquele ditado popular: como cego em tiroteio.
Eu preciso de uma direção... não dá mais para ficar correndo atrás da primeira condução que passa. Estou tentando de verdade mesmo dar uma guinada e reverter o jogo...
Como é difícil isso, não?

Ter torcido o pé e ficar de molho justo na semana do meu aniversário me deixou bem chateado. Com vontade de chegar na janela e gritar "Thanks God!". Meus planos para essa semana foram sim por água abaixo... e olha que eu tinha planos! Só hoje tive que "recusar" dois convites, um parque e um cinema...

E porque eu me preocupo com os outros? Ainda mais sendo desconhecidos...
Esse era o ponto que eu queria chegar nesse texto. Simplesmente eu me "apego" muito fácil as pessoas, mesmo se eu a conheci há uma semana...
Fico parecendo ridículo. Sempre pareço ridículo.
Mas ver alguém com uma "depressão dominical" me deixa um pouco pra baixo também, e eu falo sério...
Pode parecer que estou querendo aparecer, mas não é não...

Tenho a impressão de que estão querendo botar banca comigo e aí, analisando meus atos, estaria eu também  botando banca?
É que estou tentando ser mais reservado... não me expor tanto logo de cara. Mas é difícil, porque eu digo o que tenho que dizer, e o  que estou sentido. Não consigo ser uma fortaleza o tempo todo...
Sou eu sempre atrás da tentativa de ser feliz.

As convenções da sociedade que fazem isso comigo.
Eu quero me preocupar sim com uma pessoa desconhecida, mesmo que ela não esteja ligando pra mim, ou então botando banca.
Eu quero ser feliz. Quero encontrar alguém que me entenda, porque cansei das tentativas.
Mas parece que isso é incompreensível para a maioria das pessoas...
Ser franco e verdadeiro e sentimentalista e transparente demais como sou me coloca em uma situação delicada.
Me sinto um manequim despido na vitrine de uma loja que todo mundo passa e olha com espanto.
Auto-declarar-me "fácil de lidar" me deixa em uma posição desfavorável com as pessoas, que devem pensar que sou submisso às vontades alheias...
Mas não é bem por aí não. Tenho pra mim que ser "fácil de lidar" é uma pessoa que sabe aceitar o jeito dos outros, uma pessoa que sabe ouvir sempre que preciso e que procura ajudar em que pode.

Simplesmente ver se aproximando mais um aniversário me entristece ao olhar pra trás e ver que não fiz muitos avanços em alguns setores da minha vida... Mas o que conta é sempre olhar pra frente e tentar mais uma vez isso que chamam "ser feliz".

E mais uma semana começa. Mais uma estação começou. Mais um ano se completará.

Viver!

Um comentário:

  1. Oi!
    Passei pra ler o seu texto e me surpreendi...você escreve muito bem!

    Em alguns aspectos me vi no seu texto, essa coisa de ser "fácil de lidar" nem sempre é muito fácil, importar-se com os outros, às vezes, nos faz mais sofrer do que deveria e chegar num momento de reflexão ( como às vesperas de um aniversário ou traçando as linhas da sua vida - vide trabalho de Linguagem Visual ) e descobrir que poucos avanços ocorreram é de deixar triste mesmo. Mas tenho uma ótima notícia pra você: não tem coisa melhor do que fazer 19, porque depois vem os 20 e essa foi a melhor fase da minha vida. Quanto mais velho, mais maduro, mais experiente, mais decidido, menos incomodado com questões alheias...isso significa que as coisas vão melhor e muito.
    Beijos!!!
    Até amanhã!

    ResponderExcluir